Procedimentos

Sistemas de Travagem

Para testar os travões é utilizado o frenómetro. Este aparelho mede a força, eficiência e equilíbrio de travagem.

1. Objectivo

Deverá ser feita a inspecção visual aos seguintes componentes do sistema de travagem:

  • Estado e curso do pedal do travão
  • Bomba de vácuo , compressor e depósito
  • Reservatório e bomba central de travão
  • Indicador de pressão
  • Dispositivo de assistência de travagem e ABS
  • Travão de Estacionamento , alavanca e dispositivo de bloqueio
  • Veios de excêntricos e alavanca do travão
  • Bomba de vácuo, compressor e depósitos
  • Válvulas de Travagem – Comando, descarga rápida e reguladores de pressão.      
  • Cintas e calços de travões
  • Tambores e discos
  • Cabos de travões e comando
  • Cilindro de travões
  • Compensador automático de travagem
  • Alavancas excêntricas de afinação automática
  • Eficiência de desequilíbrio de travagem
  • Ovalização
  • Esta observação e verificação são efectuadas com o auxílio das placas detectoras de folgas Frenómetro e Desacelarógrafo.

2-Campo de Aplicação

Esta observação e verificação aplica-se aos seguintes veículos de acordo com os componentes:

  • Ligeiros
  • Pesados
  • Reboques

3- deficiências atribuir

Sistemas de Travagem

I - Classificação das deficiências

DESIGNAÇÃO

 

ESTADO MECÂNICO DE FUNCIONAMENTO

-

Veios de excêntricos dos travões e alavanca de travão

-

Difíceis de movimentar

2

Desvio da sede

2

Forte desgaste ou com folga

2

Estado e curso do pedal do travão

-

Curso excessivo, reserva de curso insuficiente

2

O travão recupera com dificuldade

2

Superfície anti- escorregamento do pedal de travão inexistente, mal fixada ou gasta

1

Bomba de vácuo ou compressor e depósito

-

Tempo demasiado longo para atingir a pressão de serviço e assegurar uma travagem

2

eficaz

 

Pressão insuficiente para assegurar uma travagem repetida (pelo menos duas aplicações de

travão) após indicação de pressão baixa (situação de perigo)

2

Fuga de ar causadora de uma queda de pressão significativa ou fugas de ar perceptíveis

2

Perdas de óleo excessivas no compressor

2

Indicação de pressão (manómetro) ou indicador

-

Funcionamento defeituoso do indicador do manómetro

2

Válvula manual de travagem

-

Fissurada ou danificada, forte desgaste

2

Funcionamento defeituoso da válvula de comando

2

Pouca fiabilidade no accionamento da válvula ou da haste respectiva

2

Fugas no sistema, ligações mal fixadas

2

Mau funcionamento

2

Travão de estacionamento, alavanca de comando e dispositivo de bloqueio

-

Fixação de posição da alavanca, insuficiente

2

Desgaste excessivo no pivot da alavanca ou no mecanismo da cremalheira

2

Curso excessivo ou afinação incorrecta

1

Válvulas de travagem (de comando, de descarga rápida, reguladoras de pressão, etc.)

-

Danificadas, descarga excessiva estanquicidade insuficiente (fugas de ar )

2

Fixação ou suporte defeituoso

2

Perdas de fluido de travões

2

Cabeças de acoplamento para os travões dos reboques e semi-reboques

-

Torneiras ou válvulas autovedantes defeituosas

2

Fixação ou montagem defeituosa

2

Estanquicidade insuficiente

3

Depósitos de pressão

-

Danificado, corroído ou com fugas

2

Dispositivo de purga inoperativo

1

Fixação inoperativa ou incorrecta

2

Dispositivo de assistência à travagem e bomba central (sistemas hidráulicos)

-

Dispositivo de assistência à travagem deficiente

2

Dispositivo de assistência à travagem ineficaz

3

Bomba central com fugas

3

Bomba central defeituosa

2

Bomba central solta

3

Quantidade insuficiente de fluido de travões

1

Tampão do reservatório da bomba central em falta

1

Luz indicadora do fluido dos travões acesa ou defeituosa

1

Funcionamento defeituoso do dispositivo indicador do nível de fluido dos travões

1

Tubagem rígida dos travões

-

Risco de falha ou de rotura

2

Fugas nos tubos ou acoplamentos

3

Danificada ou excessivamente corroída

2

Deficientemente apertada

2

Tubagem flexível dos travões

 

Risco de falha ou de rotura

2

Danificada demasiado curta ou torcida

2

Fugas nos tubos ou nas ligações

3

Deformação dos tubos sob pressão

2

Cintas/calços dos travões

 

Ausência de calços

3

Desgaste excessivo

2

Atacados por óleo ou gorduras

2

Tambores e discos dos travões

 

Desgaste excessivo, fissuras, fracturas ou outros defeitos comprometedores da segurança

2

Tambores ou discos engordurados por óleo, gorduras, etc.

2

Chapa mal fixada (protecção)

1

Cabos dos travões e comandos

 

Cabos danificados

2

Desgaste ou corrosão excessivos

2

Falta dos dispositivos de segurança nas juntas dos cabos ou das hastes

2

Guias dos cabos defeituosas ou mal fixadas

2

Fixação insuficiente dos cabos

2

Entrave ao movimento do sistema de travagem

3

Movimento anormal das alavancas, tirantes ou articulações que revelem afinação incorrecta ou desgaste excessivo.

2

Cilindros dos travões (incluindo travões de molas e cilindros hidráulicos):

 

Fissurados ou danificados

3

Com fugas

3

Montagem inadequada ou deficiente

2

Corrosão excessiva

2

Curso excessivo do mecanismo de diafragma

2

Curso excessivo do embolo

2

Protecção anti-poeira inexistente ou danificada

2

Compensador automático de travagem em função da carga

 

Montagem ou ligações defeituosa

2

Afinação incorrecta

2

Mecanismo gripado ou inoperativo

2

Inexistente

2

Alavancas excêntricas de afinação automática

 

Mecanismo gripado

3

Movimento anormal indicando desgaste excessivo ou má afinação

2

Funcionamento defeituoso  

2

Sistemas retardadores (para os veículos equipados com este tipo de dispositivo)

 

Mal montado ou ligação deficiente

2

Funcionamento defeituoso

2

Ausência de revestimentos térmicos

2

Posicionamento inadequado

2

Sistema ABS (Sistema de travagem anti-bloqueio)

 

Funcionamento deficiente

2

Montagem incorrecta

2

Mau funcionamento do indicador luminoso

1

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DOS TRAVÕES DE SERVIÇO

 

Comportamento funcional (aumentando a força de travagem progressivamente até ao valor máximo)

 

Força de travagem inadequada de uma ou mais rodas

2

A força de travagem de qualquer roda inferior a 70% do valor máximo registado na outra roda do mesmo eixo (registo automatizado dos valores)

2

No caso do ensaio de travagem ser efectuado em estrada, o desvio do veículo em relação a uma linha recta é excessivo

2

Inexistência de variação gradual da força de travagem (trepidação ou bloqueamento brusco)

2

Tempo de resposta anormal na operação de travagem de qualquer roda

2

Flutuação excessiva da força de travagem devida á existência de discos empenados ou de tambores ovalizados

2

Eficiência

 

Para reboques e semi-reboques matriculados antes de Janeiro de 1989 (1)

 

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 40% (exclusivé)

2

Para reboques e semi-reboques matriculados a partir de Jan de1989 (1)

 

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 43% (exclusivé)

2

Para pesados de mercadorias e tractores (2)

 

Inferior a 20%

3

Entre 20% e 45% (exclusivé)

2

Para ligeiros

 

Inferior a 25%

3

Entre 25% e 50% (exclusivé)

2

Para pesados de passageiros

 

Inferior a 25%

3

Entre 25% e 50% (exclusivé)

2

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DOS TRAVÕES DE EMERGÊNCIA (se existir um sistema separado)

 

Desempenho

 

Travão(s) inoperativo (s) num dos lados

2

Força de travagem da roda menos travada do eixo, inferior a 70% do esforço máximo da outra roda

2

Progressividade irregular na travagem (bloqueamento)

2

Sistema automático de travagem do reboque inoperativo

2

Eficiência

 

Para reboques e semi-reboques : Inferior a 20%

2

Para ligeiros e pesados de passageiros : Inferior a 25%

2

Para os restantes veículos : Inferior a 20%

2

DESEMPENHO E EFICIÊNCIA DO TRAVÃO DE ESTACIONAMENTO

 

Desempenho: Travão inoperativo num dos lados

2

Eficiência: Inferior a 16% ( registo automatizado dos valores)

2

DESEMPENHO DO RETARDADOR OU DO TRAVÃO DE ESCAPE

 

Não modulável (retardador)

2

Funcionamento defeituoso

2

   

Sobre Nós

O CIP iniciou a sua atividade no dia vinte de Julho de 1994, com o objetivo de se tornar numa mais valia na segurança rodoviária. 

Certificado de aprovação – IMT

Horário

Segunda a Sexta: 09:00 às 12:30 | 14:00 às 18:30
Sábados: 08:00 às 13:00

Contactos

Tel.:  [+351] 249 581 940
Fax.: [+351] 249 581 949
Telm.: [+351] 918 726 482
E-mail.:  geral@cip.pt

Links

Tabela de Preços

  • (Deliberação IMT nº 2017/25)

- Inspecções Periódicas

  • Ligeiros - 30,70

  • Pesados- 45,95€

  • Reboques -30,70€
  • Semi-Reboques- 30,70€

- Reinspecções

  •  Ligeiros - 7,70
  •  Pesados- 7,70
  •  Reboques -7,70
  •  Semi-Reboques7,70

- Inspecções Dacultativas

  • Ligeiros - 30,70

  • Pesados- 45,95€

  • Reboques - 30,70 €

  • Semi-Reboques- 30,70€

- Emissão 2ª via da Fichas de Inspecção

(Ligeiros, Pesados, Reboques, Semi-Reboques)

- 2,89€ valores com iva incluido de 23%